Ocorreu um erro neste dispositivo

28.12.08

Regressou a chuva

Está frio.
O Natal já passou e dizem que o novo ano estará prestes a começar. Dizem, porque eu ainda não percebi porque razão se festeja o início de um novo ano. Se é para fazer festa, então faça-se todos os dias e não apenas uma vez por ano!
Se calhar a razão pode ter que ver com a economia. Ou com a falta dela. Mas por aí também lá não vamos, porque tudo aponta que 2009 será bem pior do que 2008.
Pois é, regressou a chuva. O Sol já se foi e com ele o quentinho dos dias.
Este ano o Natal ficou marcado por uma série de acontecimentos que materializam a crise ou, se quisermos, a ausência do Sol.
Se o Natal é a festa da alegria e do convívio. convívio houve, mas foi pelos piores motivos. E a alegria, enfim... um funeral no dia 26 de Dezembro não é propriamente o mais interessante para animar a malta. (Foi de um amigo, mais um que se foi).
A nível pessoal, cada vez me sinto mais distante e menos crente nestes momentos. Só comprei um presente de natal que já ofereci. Não recebi nada. Só mensagens de boas festas, que agradeci entusiasmado, naturalmente. E abraços. E amizade. 
A comunicação social brindou-nos, neste final de ano, com declarações insólitas provenientes do Vaticano e já hoje ficámos a saber que parece que caminhamos, a passos largos, para um conflito bélico de proporções graves lá para as bandas do oriente. E o ano ainda não acabou...

24.12.08

Votos de um Santo Natal, com muita Paz, Alegria e Saúde para todos quantos visitam este espaço! 

17.12.08

Para reflectir

"Não é preciso atirar com os sapatos! O simples acto de os descalçar pode funcionar como bomba dissuasora, pior do que o cheiro das chaminés da co-incineração socrática, ou o odor bombástico de qualquer balneário de ginásio da moda no final da aula para tios."
Publicado em Millenium BCP Crime

O planeta visto do espaço

Quem, por estes dias, tivesse vindo de um qualquer planeta alienígeno e tivesse aterrado por cá, no planeta que todos habitamos, ficaria, no mínimo, profundamente perplexo, para não dizer, chocado.
De facto, a uma África crivada pela fome, pelo subdesenvolvimento e pelas guerras, associa-se uma Europa em plena convulsão política e económica: se muitos já não acreditam nos políticos que os governam, a juventude grega, essa, já passou à luta. Da Rússia Imperial, parece não haver grandes notícias, nem tão pouco da China, mas é conhecido que ambos são países governados com mão de ferro.
Mas o insólito mesmo, capaz de deixar qualquer um espantado, vem das terras do Tio Sam: à bancarrota dos chamados créditos tóxicos, associou-se, nos últimos dias, um esquema fraudulento capaz de fazer inveja a muita Dona Branca, cá da zona (será que não continua a haver???), e, para cúmulo daquele circo, de que falávamos há uns tempos atrás, eis que o senhor presidente por pouco não é atingido pelas singelas armas de um perigoso terrorista. Não deixa de merecer reflexão que seja precisamente um jornalista o autor dessa acção e que o alvo tantas vezes tenha negado crédito às informações que vinham sendo veiculadas pela imprensa livre acerca da "guerra de libertação" em que o seu país esta(va) activamente envolvido.
Naturalmente, e com os princípios da globalização tão veementemente apregoados e defendidos, o fenómeno já correu mundo, e agora é um ver se te avias a tentar ganhar mais pontos do que o concorrente já inscrito.
Por isso, eu não tenho quaisquer dúvidas que, caso um ET decida aterrar por cá, achará os terráqueos seres muito bizarros.
Mas eu temo que os fenómenos insólitos ainda não tenham terminado: até ao fim de 2008 ainda faltam perto de duas semanas e os protagonistas envolvidos, pela qualidade do material de que são feitos, garantem-nos, à partida, infelizmente, mais episódios circenses.

9.12.08

1º Aniversário

O actual mês de Dezembro traduz um ano de acção blogosférica.
Este blogue, de natureza ficcional, começou por aspirar a ser um espaço de intervenção cultural e social, mas os impedimentos múltiplos causados por uma vida profissional algo atribulada, a que se associou alguma desmotivação e cansaço, determinou uma mudança na sua orientação editorial. E foi assim que o blogue, mantendo a faceta ficcional, se aproximou muito mais de um registo pessoal e afectivo.
Valeu a pena?
Sim, sem dúvida!
Graças ao blogue, passei a dispor de um espaço para ir comentando aquilo que, em termos pessoais e afectivos, mais me importava ou me dizia alguma coisa. E foram vários os posts nesse sentido.
O blogue, para além da dimensão terapêutica - eu sei que o termo é excessivo, mas quem me conhece pessoalmente, também sabe que a excessividade é uma das minhas facetas mais visíveis (atenção que isto é metafórico!) - também permitiu conhecer pessoas maravilhosas: algumas, que me visitam e me comentam, e que eu só conheço pelos registos escritos; outras, que comentando-me, eu fui conhecendo via msn e/ou via telefone; outras ainda que, visitando este espaço virtual, pude conhecer pessoalmente. 
Devo confessar, e aqui o registo não é ficcional, que todas me surpreenderam pela positiva. Gostei e gosto muito de todas as pessoas que, até ao momento, tive oportunidade de ir conhecendo. Fiz Grandes e Excelentes Amigos! E também Amigas do melhor que há!
A tod@s, bem-hajam!