Ocorreu um erro neste dispositivo

31.5.09

Foi há 20 anos

E poderia ter sido possível, se houvesse mais humanidade e respeito pelas justas aspirações de um povo. Mas não. O massacre da praça da Paz Celestial mostrou ao mundo que a voz do querido líder continua a ser incontestável. E 20 anos passados o poder do dinheiro e dos negócios ensinam-nos que aquilo que importa, ao contrário do que expressara Saint-Exupéry em O Principezinho, é mesmo aquilo que se vê. Infelizmente. E para mal de todos nós.
Só espero que a bárbarie que representou este massacre nunca mais se repita. E que todos lutemos por aquilo que consideramos justo. E isso é tão somente um pouco de liberdade.

30.5.09

Les Chansons D'Amour

Acabei de ver o filme de Christophe Honoré, Les Chansons d'Amour, e senti-me simplesmente fascinado: desde logo pelo cenário da Paris, que eu já conheci e que ainda mantém em mim um grande fascínio, mas também pelas canções e pela história de ousar amar e de não ter receio de o dizer, com toda a frontalidade, aceitando as consequências daí decorrentes.
Se não conhecem, não deixem de o ver, porque merece bem a pena!
Deixo-vos dois extractos de que gostei muito:

28.5.09

Está novamente Sol

Hoje está um dia muito solarengo e quentinho.
Eu estou de gravata e calças de ganga.
Felizmente, consegui resolver, de modo positivo e produtivo, uma data de problemas que me andavam a causar uma grande ansiedade.
A tua boa estrela voltou a ajudar-me imenso. Sou um homem de sorte!
Estou feliz! :)

27.5.09

Da vida a dois e do meu entendimento acerca disso

Sempre tive muita dificuldade em compreender que duas pessoas adultas que, de comum acordo, decidem compartilhar uma vida se possam agredir mutuamente ao ponto de tornarem esse projecto comum de vida um inferno. 
Mais dificuldades tenho em compreender que essas agressões tenham lugar usando as crianças como moeda de chantagem afectiva.
Acredito que, provavelmente, a aproximação e a construção comum de um projecto de vida terá tido, como base, o respeito mútuo, a confiança, o diálogo e, naturalmente, o carinho, a ternura e o afecto. No fundo, aquilo que designamos como o Amor.
É, por isso, para mim, profundamente perturbador receber a notícia de que uma amiga de infância, casada, com 2 crianças amorosas, se tentou suicidar porque o seu casamento, fruto de rotinas desgastantes instituídas, se estava a desmoronar. Simplesmente não consigo compreender esta situação. E a dor e o sofrimento que ela evidencia.
É, por isso, para mim, profundamente gratificante saber que, apesar desta situação negativa e trágica, ainda há amigos e amigas que, graças a Deus, constrõem e cuidam desse projecto comum de vida e se auto-intitulam de felizes juntos!

25.5.09

Da distração colectiva

Simplesmente extraordinário e bem ilustrativo do mundo em que vivemos:
O ANDARILHO: É como atirar pérolas a porcos

Do colectivo cibernáutico à solidão existencial

Li, num dos blogues, que acompanho uma reflexão sábia sobre a fractura que parece estar, cada vez mais, a assolar os povos tecnologicamente evoluídos: é possível ter milhares de "amigos", graças às redes sociais de partilha na internet, mas não ter, de facto, ninguém para ir tomar um café.
Acrescento que, graças à globalização da informação, hoje sabemos praticamente tudo o que ocorre no mundo em directo, mas nunca como hoje fomos tão insensíveis à dor e à desgraça dos que, como nós, partilham este mundo: penso, em concreto, nas violações dos direitos humanos, na fome, na guerra, nas injustiças múltiplas que encontramos todos os dias.
Aqui vos deixo o link do post que me inspirou:

15.5.09

Obrigado

Car@s Amig@s,
Do fundo do meu coração, muito obrigado pelas Vossas gentis, calorosas e amigáveis palavras!
Merci :)

12.5.09

Desabafo

Estou a precisar de tirar uns dias de férias. Sinto-me cansado. E também bastante down.
Ontem tive uma experiência que me fez soar as campainhas de alarme: coloquei umas coisas na bagageira do carro e fechei a tampa; quando, freneticamente, procuro a chave do carro nos bolsos das calças e do casaco, apercebo-me que a devo ter deixado dentro da mala do carro. E aí, para além da maçada de ter de chamar um táxi para me ir buscar, por forma a que, em minha casa, eu recuperasse a outra cópia da chave, tive uma clara consciência de que alguma coisa não está muito bem comigo. E isso assustou-me. Dei-me conta que já não sou jovem. Que já estarei em fase de contagem decrescente, sei lá.... E a verdade é que fiquei perturbado.
Claro que a história da falta de concentração e de memória pode ser explicada por razões mais comezinhas, como sejam o andar a dormir pouco e mal, o andar a fazer 6 horas de viagem de carro num dia, com trabalho intelectual super intenso nesse período, mais as chatices de tentar emagrecer, etc, etc, etc. Mas isto são, como diria uma amiga minha, desculpas de mau pagador! A verdade é que a ideia de estar a envelhecer não me está a agradar nada. Mas eu até devia encarar isto com alguma calma, até porque eu já não tenho nenhum ar de menino de coro. E, além disso, eu nunca me preocupei absolutamente nada com a aparência: quando tinha cabelo, ele andava sempre desalinhado, despenteado, wild, poderíamos dizer; quando tinha 20 anos, tanto me dava vestir uma calça de ganga bem gasta e na moda, como uma claça de fazenda com os vincos passados a ferro.
Mas agora, começar a fazer as coisas em piloto automático e começar a fazer asneira - e da grossa - isso perturba-me e muito.
Pensando bem, já não é a 1ª vez que eu faço asneira e da forte. Mas, das outras vezes, uma alma caridosa, que me quer bem, teve a gentileza e o cuidado de me avisar e de me chamar a atenção. Mas agora eu apercebi-me que já não tenho 20 anos. E isso assustou-me.
Eu sei bem a idade que tenho.
Sei bem as minhas qualidades e as minhas fragilidades.
Porém, pela 1ª vez, eu pude aperceber-me que as fragilidades começam a ser maiores do que as qualidades. E isso está a causar-me muita ansiedade. E perturbação.

7.5.09

Um pouco de humor

Dado que a vida custa e, às vezes, a distância é enorme, aqui ficam uma série de fotos, encontradas na net, para nos rirmos todos um bocado! E até porque rir é o melhor remédio! 
Um bom fim-de-semana para todos! :)
kit mãos-livres: eficaz e muito económico!
Uma foto em família para mais tarde recordar!
A gripe porcina contada às criancinhas
Campanha promocional contra a crise
Atenção: estamos todos sob escuta!
Quem te avisa, teu amigo é!
Nada como saber receber bem os visitantes
Um modelo sofisticado do kit mãos-livres
A lei é para todos!