Ocorreu um erro neste dispositivo

27.5.09

Da vida a dois e do meu entendimento acerca disso

Sempre tive muita dificuldade em compreender que duas pessoas adultas que, de comum acordo, decidem compartilhar uma vida se possam agredir mutuamente ao ponto de tornarem esse projecto comum de vida um inferno. 
Mais dificuldades tenho em compreender que essas agressões tenham lugar usando as crianças como moeda de chantagem afectiva.
Acredito que, provavelmente, a aproximação e a construção comum de um projecto de vida terá tido, como base, o respeito mútuo, a confiança, o diálogo e, naturalmente, o carinho, a ternura e o afecto. No fundo, aquilo que designamos como o Amor.
É, por isso, para mim, profundamente perturbador receber a notícia de que uma amiga de infância, casada, com 2 crianças amorosas, se tentou suicidar porque o seu casamento, fruto de rotinas desgastantes instituídas, se estava a desmoronar. Simplesmente não consigo compreender esta situação. E a dor e o sofrimento que ela evidencia.
É, por isso, para mim, profundamente gratificante saber que, apesar desta situação negativa e trágica, ainda há amigos e amigas que, graças a Deus, constrõem e cuidam desse projecto comum de vida e se auto-intitulam de felizes juntos!

2 comentários:

Angelo disse...

É sem dúvida de lamentar...

F3lixP disse...

Sim, e que sobretudo chegaram lá seguindo um percurso cheio de buracos e obstáculos. Bom, talvez por isso dêem outro fulgar à palavra "felizes", porque realmente o são e os outros "querem ser"!