Ocorreu um erro neste dispositivo

23.5.10

Das técnicas de venda agressivas à satisfação do consumidor

Recentemente, tenho sido brindado com chamadas telefónicas a toda a hora, ora é a Rita não sei o quê, o Tiago, a Ivone qualquer coisa, o Filipe, a Francisca, a Bárbara, o Bruno, enfim, uma panóplia de supostos sujeitos, que me ligam questionando-me acerca da minha satisfação com os serviços da PT (Portugal Telecom), ora para responder a uma breve inquérito, ora para me anunciar que, agora, eu já posso fazer chamadas grátis e ficar a pagar a módica quantia de 59 euros mensais, mas que é um óptimo serviço, um presente que eu só posso agradecer com muita reverência e aplausos. Porque agora a minha velocidade vai aumentar, porque agora é o serviço fibra, e passados quatro minutos, liga a fulaninha a vender o serviço Meo, e não sei quantos canais e que eu tenho que aceitar, porque um cliente bom como eu só tem mesmo é que agradecer aos céus poder beneficiar de uma tal campanha, e um minuto depois, é a vez do sicrano vir apregoar os benefícios do serviço Sapo fibra 100 MB, porque este é que possui a velocidade ideal para as minhas necessidades!!!! E, às vezes, tocam o fixo e o móvel em simultâneo e é uma alegria, a toda a hora. Se alguém ler isto e tiver alguma responsabilidade nessa empresa, peço-lhe que, por favor, não me voltem a contactar para me vender rigorosamente mais nada. Porque eu não vou adquirir serviço nenhum. Eu não quero nada. Eu só quero paz. Não vale a pena insistir. A insistência só vai provocar uma coisa: a consciência da necessidade imperiosa de rescindir, o mais rapidamente possível, qualquer tipo de vínculo contratual com essa empresa.

1 comentário:

Individual(mente) disse...

Cá em casa é mais diversificado. Não é só a PT. A cereja no topo do bolo são os que o fazem in loco, não descolando o dedo da campainha até que alguém lhe abra a porta e os ature até terminarem o discurso, recebendo a mesma resposta de sempre.
Eu sei que esse é o serviço deles mas... a paciência de quem os ouve também tem limites...