Ocorreu um erro neste dispositivo

26.2.09

Portugal dos pequeninos (II)

Segundo corre por aí, os capitalistas que investiram o seu dinheiro no Banco Privado Português vão perder tudo, porque a instituição vai decretar a falência. Mesmo que queiram resgatar o dinheiro, tal não é possível, pois as contas encontram-se congeladas.
O argumento para a derrocada do banco e dos seus clientes são as práticas de gestão fraudulentas.
Eu, que não sou capitalista, mas que tenho uns trocaditos nuns produtos de aforro, pergunto-me: qual será a instituição que virá a seguir?
Sim, porque se os bancos não emprestam dinheiro entre si, porque desconfiam uns dos outros, provavelmente devem perceber um pouco da gestão de uns e de outros.
Sendo assim, e atendendo ao argumento invocado pelos responsáveis políticos portugueses - as práticas de má gestão dos banqueiros, que impedem qualquer intervenção por parte do Estado - , questiono-me quando chegará a hora de, também eu, perder os meus trocaditos? 

3 comentários:

pinguim disse...

Acho que não tenho nenhuma pena dos grandes capitalistas que especulavam através do BPP; mas faço a distinção do investidor que trabalhou, economizou e ali tinha o seu dinheiro e desses tenho pena, pois podem ficar sem nada. E os "chefões" sairão incólumes, como é normal.
Ainda bem que nem "trocaditos" lá tenho, nem neste nem em nenhum...
Abraço.

Daniel Silva disse...

É uma boa questão... É quase um dominó a desboroar-se... a menso que tenhas alguma coisa nesse banco, esperemos que nao te bata à porta...

abraços :)

Kapitão Kaus disse...

Amigos:)
Tenho muito receio que a situação derrape. Aliás, nas notícias que vou lendo, de lá de fora, as coisas parecem estar negras.
Os meus trocaditos não são grande coisa (não, não tinha capacidade nem tão pouco confiança para ir para uma instituição como essa que está na boca do mundo), mas não me apetece nada ficar a "arder".
Acho que ainda vou fazer como a minha avozinha: guardar tudo no colchão!!!

Abraço:)